DEPOIMENTOS

Temos aqui a seção onde grandes companheiros dO Dilúvio lembram dos saudosos tempos de corre. Cada um contribuiu, à sua maneira, para o crescimento da revista.
Valeu, camaradas!

Pedro Jatobá chegou admirado por todos. O cabra largara um grande emprego na área de TI para se aventurar pelos mares revoltos da mídia independente. Isso é que é empreendedorismo! O novo sócio pernambucano equipou, ensinou, filosofou e armou, guardando muitas cestas de 3 pelas quadras de Poa e Novo Hamburgo. Praticamente um camareão do nordeste, nosso grande Jatobaura!

Guilherme Carlin é aquele amigo e colega de faculdade que foi chegando aos poucos, ajudando no que era possível, e logo se mostrou um dos mais hábeis e generosos parceiros da revista. Sempre disposto a colaborar, até com o rango, cozinhando o saboroso frango com pequi, trazido direto do Tocantins e dividido com a tropa de marujos famintos, acompanhados da sempre presente Chica Chaça, a única, a melhor e mais caliente birita da Cidade Baixa.
Valeu Guiga!

Éderson de Abreu Thomas colaborou nas edições 8 e 9, abordando questões da área da saúde: o lobby farmacêutico e a busca pelo corpo perfeito, através de medicamentos tarja preta perigosos. À época, Éder era estudante de Farmácia da UFRGS e diretor do Dpto Estudantil da AFARGS (Associação dos Farmacêuticos do RS). Foi também um grande companheiro de distribuição dos exemplares pelos campi universitários e nas noites de rock pelo Bom Fim.

Start typing and press Enter to search